Notícias Pet

Sorriso radiante pra eles também…

By  | 

É mais fácil do que você imagina cuidar dos dentes do seu pet, mantendo-os branquinhos e saudáveis. Afinal, como acontece com a gente, vários problemas de saúde começam na boca. Acompanhe a entrevista da veterinária Mariana Suemi Fugita, responsável pelo serviço de Odontologia do Hospital Veterinário, Petshop e hotel Sena Madureira, em São Paulo.

Meu Primeiro Pet – Quando o tutor deve começar a escovar os dentes de seu animalzinho?
Mariana S. Fugita – A escovação dentária de cães e gatos deve começar quando ocorre a troca dos dentes de leite pelos permanentes. Antes desta troca, que ocorre até o sétimo mês de vida, podemos iniciar esse processo e acostumar nossos pets, ainda filhotes, a terem a boca manipulada na forma de brincadeira ou carinho. Esse momento deve sempre ser acompanhado pelo reforço positivo, com elogios, petiscos ou algum outro tipo de recompensa, como passeios ou brinquedos. Isso vai ajudá-lo a aceitar a escovação dentária diariamente, tornando esse hábito agradável.

MPP – É verdade que a saúde deles, como a nossa, também começa na boca?
Mariana – Sim. A falta de escovação dentária pode levar a graves problemas de saúde. A doença periodontal é a primeira a se manifestar. Cães e gatos, assim como seres humanos, possuem milhões de bactérias na boca. Todos os dias, essas bactérias se organizam aderindo à superfície dos dentes e a outros tecidos da cavidade oral, formando a placa bacteriana. A ideia da escovação dentária é tanto removê-la quanto os restos de comida. Quando não fazemos isso adequadamente, as bactérias se proliferam cada vez mais podendo iniciar um processo inflamatório da gengiva.

MPP – O que ocorre se a escovação não é feita corretamente ou de forma regular?
Mariana – A falta de escovação dentária pode agravar esse processo. Os sais minerais contidos na saliva aderem à placa, formando o tártaro ou o cálculo dentário. Por ter sua superfície áspera, semelhante a uma pedra, o tártaro acaba aderindo mais placa bacteriana, aumentando a concentração de bactérias na boca. Elas, que antes causavam uma inflamação, passam a desenvolver um processo de infecção, destruindo os tecidos de sustentação do dente, chamado periodonto, composto pela gengiva, osso alveolar (onde o dente fica inserido), cemento (tecido fibroso que recobre a raiz dentária) e ligamento periodontal (fibras que ligam o cemento ao osso alveolar).

MPP – Qual a consequência disso?
Mariana – Pode ocorrer retração gengival e destruição do osso alveolar. Os sinais clínicos mais comuns são: mau-hálito, dor e resistência ao tocar a cavidade oral. Eles também podem esfregar as patas no focinho, ter sangramento gengival durante a escovação e dificuldade para comer alimentos mais duros, como ração, biscoitos e ossinhos.

MPP – É verdade que, as bactérias podem realmente atingir outros órgãos a partir da boca?
Mariana – Esse grande número de bactérias que iniciou a infecção local na cavidade oral pode cair na circulação sanguínea e atingir órgãos vitais, como coração, fígado, rins, pulmões etc. Portanto, escovando os dentes do seu cão ou gato e fazendo tratamentos profiláticos periódicos, você poderá prevenir doenças muito mais graves, aumentando a expectativa de vida deles.

MPP – Os ossinhos que muitos tutores dão aos pets ajudam a limpar os dentes?
Mariana – Ossos naturais, assim como os artificiais (de courinho, nylon e de plástico muito duro) podem auxiliar na remoção da placa bacteriana pelo atrito com os dentes. No entanto, existe um risco grande de causarem fraturas nos dentes, principalmente em cães. Tem sido cada vez mais comum, na rotina de atendimento odontológico, cachorros que quebraram seus dentes (principalmente os pré-molares), porque mordem esses ossinhos com muita força. Essas fraturas causam muita dor e desconforto ainda mais se há exposição da polpa (canal do dente). Esse tipo de problema exige tratamento específico, como canal ou até extração do dente, dependendo do problema.

MPP – Os gatos precisam de cuidados especiais?
Mariana – Gatos, como os cães, têm alta prevalência de doenças orais. Além da periodontal, que acomete 85% dos animais adultos, existem doenças como gengivoestomatite crônica e a lesão de reabsorção dentária felina, que nem sempre é percebida pelo tutor. Para eles, a melhor forma de prevenção é a escovação diária dos dentes e consultas periódicas ao veterinário especialista em odontologia.

MPP – Como escolher a escova e a pasta de dentes? E que cuidados tomar?
Mariana – Para escolher uma boa escova dental para cães e gatos, devemos nos atentar ao tamanho dela e ao tipo de cerdas, pois elas precisam acompanhar o comprimento do pet e serem as. Existem no mercado escovas com cabo longo que facilitam o alcance dos dentes que ficam mais no fundo da boca, o que ajuda muito no caso de cães de grande porte e focinho comprido. As dedeiras com cerdas de escova ou silicone muitas vezes não são tão eficazes para escovar os dentes do fundo da boca de cães pequenos ou gatos, por serem muito grandes para a boca deles. Devemos tomar cuidado com as dedeiras, para que o cão não a engula durante a escovação.  Neste caso, para os pequenos, podemos utilizar escovas dentais infantis ou para bebês. As de cabeça pequena conseguem alcançar melhor os dentes posteriores, que ficam num local onde geralmente o tártaro começa a se acumular.

MPP –  Os cremes dentais para pets ajudam esse processo de limpeza?
Mariana – Só lembrando que a parte mais importante da escovação dentária é a própria ação mecânica das cerdas sobre os dentes e gengiva, removendo a placa bacteriana. Os cremes dentais também auxiliam esse processo. Os pets só podem usar produtos veterinários, pois, diferentemente dos usados por humanos, podem ser engolidos, sem causar problemas como gastroenterite ou intoxicação. Muitos desses cremes dentais de uso veterinário têm sabores palatáveis, que ajudam a escovação ser um momento mais agradável para os pets.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>