Mundo Pet

Meu pet ingeriu veneno. E agora?

By  | 

Explorar o ambiente é o passatempo favorito dos filhotes. Mas, as aventuras do seu bichinho pela casa podem acabar em sérios problemas caso eles encontrem algo que não deveriam, como alguma espécie de veneno, por exemplo. Foi o que aconteceu com a Stella, filhote de pastor de shetland (o famoso minicollie) de quatro meses, que roeu uma pastilha de raticida deixada para trás pela equipe que dedetizou a casa de sua tutora.

O que salvou a vida da cachorrinha foi o atendimento rápido, uma vez que a filha da tutora, de apenas seis anos, viu a pequena pet com o veneno na boca e logo avisou sua mãe. Stella recebeu atendimento de emergência na clínica veterinária e se recuperou em dois dias após o incidente. A cachorrinha já está bem e com a família, mas em alguns casos, a recuperação pode ser bem mais difícil. “Os efeitos da intoxicação vai variar de acordo com a característica de cada pet. Se ele for idoso ou tiver algum problema de saúde, os danos podem ser maiores, dependendo também da quantidade de ingestão do veneno”, explica a veterinária Karina Mussolino da Petz.

De acordo com a doutora Karina, algumas situações de envenenamento podem fazer com que o pet tenha uma reação tardia. Nesses casos, após alguns dias do ocorrido, o bichinho pode sentir tremores e perder a vontade de comer, o que agrava o caso e pode até deixar sequelas.

Incidente comum

Infelizmente, casos de envenenamento de pets são comuns. No pronto-socorro da Petz, por exemplo, eles já são 60% das ocorrências o que exige atenção redobrada dos tutores, como aconteceu no caso da Stella. “O ideal é evitar qualquer tipo de veneno guardado em casa, mesmo que esteja em local protegido, porque alguém pode se descuidar e deixar o produto acessível aos pets”, orienta a doutora Karina. “Ao fazer a dedetização, tem que retirar o bichinho de casa e só retornar quando houver 100% de certeza de que não há veneno no local”, finaliza.

Em caso de envenenamento, o mais indicado é levar o bichinho ao veterinário assim que forem percebidos os primeiros sintomas. São eles: vômito, tremores pelo corpo, apatia e alteração nas fezes. Vale lembrar que qualquer um deles, sozinho, já vale uma ida ao veterinário. No atendimento para casos como o da cachorrinha Stella, é feita a lavagem gástrica com uso de carvão ativado que ajuda na eliminação do veneno no trato digestivo, ministrado soro, diurético para a eliminação pela urina, além do acompanhamento da frequência cardíaca, respiratória e temperatura.

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>